É BLACK FRIDAY! – 35% OFF EM COMPRA DE 3 OU MAIS ITENS

BLOG

Relação entre o desequilíbrio da microbiota e o desenvolvimento da acne

A acne (Acne vulgaris) é uma condição comum de pele, que afeta 80 a 85% da população, em algum ponto da vida.

A formação de acne depende de uma série de fatores, incluindo hiperqueratinização folicular, excesso na produção de sebo, colonização por Propionibacterium acnes (atualmente denominada Cutibacterium acnes), além de uma cascata inflamatória que causam pele seca e irritada. Dessa forma, é de fundamental importância no tratamento acalmar a pele inflamada, mantê-la hidratada  e restaurar sua barreira.

Todos nós temos a bactéria C. acnes, principalmente nas áreas mais oleosas da nossa pele. No entanto algumas pessoas nunca apresentam problemas enquanto outras podem formar a acne em algum ponto da vida.  Estudos vem mostrando que a microbiota da pele representa um ponto chave no controle das manifestações.

Pesquisas recentes também tem mostrado que cremes com probióticos podem auxiliam o tratamento da acne. Foi demostrado que probióticos inibem diretamente C. acnes através da produção de proteínas antibacterianas. Por exemplo, cepas de Lactococcus sp. mostraram ser capazes de inibir o crescimento de  Staphylococcus aureus, Streptococcus pyogenes e C. acnes através da secreção de bacteriocinas.

Estudos clínicos também tem mostrado que probióticos melhoram a função barreira da pele através  do aumento de substâncias antimicrobianas, inibindo a colonização por bactérias ruins.

Vários outros estudos também tem mostrado o papel dos probióticos na produção de ceramidas, importante na retenção de umidade na pele. Pesquisadores aplicaram um creme contendo Streptococcus thermophiles, uma bactérias benéfica presente na nossa pele, por 7 dias e notaram aumento na produção de ceramidas tanto in vitro como in vivo. Um tipo específico de ceramidas, as fitoesfingosinas, conseguem inibir o crescimento de C. acnes. Dessa forma, os probióticos atuam no tratamento da acne em duas frentes, através da inibição da colonização por C. acnes, e através da indução da síntese de ceramidas e gorduras boas da pele, contrabalanceando efeitos adversos de alguns tratamentos.

Os probióticos também podem auxiliam através de efeitos imunomodulatórios. Estudos mostraram que culturas de pele humana tratadas com um cepa de L paracasei mostraram diminuição na resposta inflamatória, percebida pela redução na vasodilatação, edema, e liberação de fator de necrose tumoral alfa (TNF-alfa).

Entender melhor o papel da nossa microbiota com certeza irá revolucionar o tratamento não apenas da acne mas de várias outras afecções de pele.

Referencias:

Kober, M. M., & Bowe, W. P. (2015). The effect of probiotics on immune regulation, acne, and photoaging. International journal of women’s dermatology, 1(2), 85-89.

Gueniche, A., Benyacoub, J., Philippe, D., Bastien, P., Kusy, N., Breton, L., … & Castiel-Higounenc, I. (2010). Lactobacillus paracasei CNCM I-2116 (ST11) inhibits substance P-induced skin inflammation and accelerates skin barrier function recovery in vitro. European journal of dermatology, 20(6), 731-737.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter