BLOG

A relação entre a microbiota da pele e o desenvolvimento do Vitiligo

Hoje em dia nós sabemos que uma pele saudável abriga uma quantidade e variedade enorme de microrganismos, nosso microbioma.

Essas bactérias, ditas comensais,  são extremamente importantes para a saúde da nossa pele.

Estudos sugerem uma relação entre uma microbiota alterada com a epidemiologia de várias afecções de pele, como acne, rosácea, dermatite, psoríase, incluindo até mesmo o vitiligo.

O vitiligo é uma doença de pele crônica multifatorial caracterizada por perda localizada de pigmentação na pele (manchas brancas) causada pela morte de melanócitos, as células da nossa pele que produzem a melanina,  juntamente com um estresse oxidativo muito grande nas regiões lesionadas, que altera toda a fisiologia da pele.

Um estudo recente analisou amostras de pele de indivíduos com e sem lesões de vitiligo. Os pesquisadores observaram que amostras de pele com lesão apresentavam uma diversidade menor de bactérias, um desequilíbrio, independentemente do local das lesões.  Os pesquisadores também identificaram um padrão diferente de interação entre as bactérias presentes em pele com e sem lesões, ou seja, a microbiota de peles com lesão de vitiligo não apenas possuem uma diversidade menor de bactérias, ou seja, uma quantidade menor de tipos diferentes de bactérias, mas essas bactérias se relacionam umas com as outras de uma forma totalmente diferente  do que a microbiota de peles sem lesões.

Descobriu-se também que nossa microbiota cutânea têm um efeito profundo nos processos imunológicos da pele, incluindo aqueles que estão associados à progressão do vitiligo, onde uma das principais causas relacionados à despigmentação da pele tem sido uma reação autoimune contra os melanócitos. Assim, o estudo do microbioma e a identificação da microrganismo responsável por iniciar essa resposta imunológica contra os melanócitos, e como isso ocorre, vem sendo tratado como uma nova estratégia para o desenvolvimento de terapias e tratamentos.

Podemos perceber por estes trabalhos a importância de se manter a saúde da microbiota. Ainda não se sabe qual a relação existente, se de causa ou efeito, porém o que as pesquisas científicas vem demonstrando é uma relação significativa entre disbiose e afecções de pele e a importância do equilíbrio para o não agravamento delas.

Referencias:

– Ganju P, Nagpal S Mohammed MH, Kumar PN, Pandey R, Natarajan VT, … and Gokhale RS (2016) Microbial community profiling shows dysbiosis in the lesional skin of Vitiligo subjects. Scientific Reports, 6:18761.

– Vujkovic-Cvijin I, Wei M, Restifo N P and Belkaid Y (2017) Role for skin-associated microbiota in development of endogenous anti-melanocyte immunity in vitiligo. Journal of Immunology 198:58.14.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter